top of page

modos de vasculhar a imaginação

em 2016 minha mãe encantou-se, esse ano foi a vez de meu pai. as reverberações dessas passagens ecoam de formas inesperadas e vem, às vezes, como vendaval, sem aviso prévio. como no dia nublado de hoje.


veio no avistar de um casal de velhinhos, que tive o ímpeto de sacar uma foto, no metrô. num piscar, me senti um pouco como uma visitante de um sonho. tudo embaralhou, ficou sobreposto e cheio de mistério, e junto um movimento urgente de vasculhar a imaginação.

por um instante, num mundo irreal, vislumbrei meus pais velhinhos, assim, andarilhantes, povoando um lugar não lugar.

e, num outro piscar, tudo voltou para o último sopro do semblante da minha lembrança dos dois de costas no abraço, que até aliviou, mas não fez passar o vendaval.


foi uma preciosidade da imaginação em vasculhar tudo aquilo que poderia ter sido. cada sopro, uma despedida, uma invenção.



escritos de agosto de 2023.


Comentarios


bottom of page